mar de prata

Abril 05 2014

Quando o amanhã começar sem mim,

E eu não estiver lá para ver,

Se o sol nascer e encontrar os teus olhos

Cheios de lágrimas por mim;

Desejo ardentemente que não chores

Como choraste hoje,

Enquanto pensavas nas muitas coisas

Que nunca pudemos dizer.

Sei o quanto me amas,

Tanto quanto eu te amo,

E sempre que pensares em mim,

Sei que também terás saudades minhas;

Mas quando amanhã começar sem mim,

Tenta entender

Que um anjo apareceu e chamou o meu nome,

E me levou pela mão,

E disse que o meu lugar estava pronto,

No céu lá nas alturas

E que teria de deixar para trás

Todos os que tanto amo.

Mas quando virei costas para partir,

Uma lágrima rolou-me dos olhos

Pois toda a vida pensei

Que não quereria morrer.

Tinha tanto por que viver,

Tanta coisa por fazer,

Que parecia quase impossível,

Estar naquela momento a deixar-te.

 

Pensei em todos os dias passados,

Nas boas e más notícias,

Em todo o amor que partilhámos,

No quanto nos divertimos.

Se eu pudesse reviver o passado,

Por um momento que fosse,

Dir-te-ia adeus e beijar-te-ia

E talvez te visse sorrir.

Mas foi então que percebi

Que isso nunca aconteceria,

Pois o vazio e as memórias

Tomariam o meu lugar.

E quando pensei nas coisas mundanas

Que poderia perder amanhã

Pensei em ti e quando o fiz

O meu coração encheu-se de dor.

Mas quando cruzei as portas do céu

Senti-me tão em casa

Quando Deus olhou para mim e me sorriu,

Do seu imenso trono dourado,

Disse: "Isto é a eternidade,

E tudo o que te prometi.

Hoje a tua vida na Terra pertence ao passado

Mas aqui vai começar de novo.

Não te prometo amanhãs

Mas este dia vai durar para sempre,

E uma vez que todos os dias são o mesmo,

Não tens por que chorar o passado.

Foste sempre tão fiel,

Tão confiante e tão verdadeiro.

Ainda assim houve alturas

Em que fizeste coisas

Que sabias que não devias.

Mas foste perdoado

E és finalmente livre.

Portanto, vem, dá-me a tua mão

E partilha comigo a minha vida."

Assim, quando amanhã começar sem mim,

Não penses que estamos afastados,

Pois, sempre que pensares em mim,

Estarei aqui, no teu coração.

 

David M. Romano

publicado por mardeprata às 17:42

Abril 01 2014

Desaparecida, com o bruxismo a atacar, por estar a estrebuchar!

Vou dar conta dele, ai vou, vou!

Com a cabeça a mil e a estourar por tanta coisa que se está a passar!

Revisitar o passado, interpretar os sentimentos!

E toc toc toc, aqui, ali, acolá e acoli!

E visualizar, pensar muito positivo!

Andar para a frente, fechar as feridas!

Abrir o coração.

Receber carinho, mas para isso é preciso dar carinho e, mais uma vez, abrir o coração.

Mas é tão mais fácil mantê-lo fechado, bem protegidinho!

Mês complicado...

Mês de muitos gastos...

Mês em que já devia estar sol, daquele mesmo bom, de Primavera, de andorinhas no ar...

Sol onde andas?

Nós já cá estamos à tua espera, a suspirar pelos teus raios e pelo teu calor...

Pelas oportunidades de andar a bater perna até mais tarde...

De ver pôr dos sois ou arco-íris como hoje!

Será que foi um sinal que o sol está a chegar?

Entra! A porta está aberta! Bem-vindo!

publicado por mardeprata às 21:49

aliança entre o mar que me viu nascer e a lua de prata que ilumina o meu caminho
mais sobre mim
Abril 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30


pesquisar
 
site meter
subscrever feeds
blogs SAPO